Monday, March 21, 2011

Conversa fiada...

Poizeh, faz um tempo que não posto nada né. Maldida preguiça.

Enfim, voltei, não sei quando vou postar denovo depois desse, bom, whatever, vamos ao post.

Hoje fui pegar meus sapatos no sapateiro (na verdade era um sapato e uma chuteira). Eles tinham descolado seus respectivos solados (tá certo solado?) e eu não ia comprar OUTRO sapato social, um já tá bom :P

Então (q merda, demorei 3 tentativas pra fazer um til, vide post anteriror), chegando no escritório do sapateiro tive uma certa surpresa pelo fato do mesmo ter lembrado de minha pessoa e dos meus calçados (considerando que entreguei meu sapato no sábado e a rotatividade lá é razoável), mas o mais curioso foi que depois o senhor começou a puxar papo com perguntas do tipo: "eae, tu é vascaíno é?" (eu tenho cara de vascaíno?) e etc. Eu, como bom representante da geração Y, fiquei logo impaciente, imaginando que horas ele ia catar meus sapatos do meio do amontoado lá dentro do quartinho dele.

Papo vai, papo vem, outro senhor aparece, oferece café, eu digo não, ele me chama de rico ("rico não toma café, isso é coisa de pobre", palavras dele) e minha paciência começa a chegar a níveis preocupantes. De repente eu penso: "Pow, perae, eu não tenho nada pra fazer em casa (pelo menos nada urgente), porque estou tão afobado?" Poizeh, porque eu estava tão afobado?

Eu não tenho nenhum embasamento científico e nem vou pesquisar sobre sociologia às 21:54 de uma Segunda-Feira prum blog que mal recebe visitantes. Mas, na minha humilde opinião, tirando a mim mesmo e outros amigos e colegas como exemplo, percebo que grande parte dos representantes da nossa geração tem ficado cada vez mais impaciente, mas tipo impaciente pela simples impaciência, como aconteceu comigo, fiquei impaciente apenas pelo fato do senhor estar demorando a entregar o sapato pra mim, e eu não precisava desesperadamente do sapato naquele momento.

Saca, o que custa sentar, trocar algumas palavras, pegar o sapato e ir embora? Bom, na verdade foi o que fiz, e quer saber, não foi tão ruim assim.

Creio que esses sentimentos de impaciência são de certa forma prejudiciais em diversos sentidos, os quais não citarei aqui pois estou com um sono da p... e tenho que acordar cedo amanhã.

Todos nós temos que treinar nossa paciência. Isso deve ser bom de alguma forma.

Boa noite.

Sunday, February 20, 2011

Mac e PC

Ufa! Finalmente entreguei minha monografia da pós. Agora posso tocar outros projetos (pessoais e profissionais) sem ficar pensando em prazos ou se tá faltando escrever alguma seção da monografia.

Então, vou falar hoje de uma parada que acontece comigo desde que comprei meu MacBook. Desde que lia a Info Exame (antes de entrar na faculdade) e via aqueles Mac bonitões com interface de usuário igualmente bonitas sempre tive curiosidade de ser um Mac User e ter a experiência de usar o Mac OS X, e há uns 7 meses atrás pude realizar esse sonho nerd.

Tem gente que não se adapta à usabilidade do Mac, como o Izzy Nobre do Hbdia. Realmente é algo bem diferente do PC, de repente os atalhos de teclado que você mais usa estão em outro lugar, quando existem, isso só pra dar um exemplo.

O problema não é nem tanto adaptar-se ao Mac, o problema é ter que adaptar-se ao Mac e no dia seguinte ter que usar PC de novo, aí é que seu cérebro começa a fritar. E é o que tá acontecendo com o meu.

Uso Mac aqui em casa, nem todos os dias, às vezes saio depois do trabalho e volto já na hora de dormir ou tou tão cansado de olhar pra uma tela que chego em casa, leio ou assisto um filme e vou dormir. O que significa que passo minha semana inteira usando PC. Já no final de semana quem domina é o Mac.

Bom, vou explicar melhor qual é a piração. Eis abaixo os dois teclados que uso na minha vida. Mac e PC, respectivamente.

Clica pra ver maior ;)


Foi o melhor que encontrei :P

Eu vou apenas descrever os comandos mais comuns que uso diariamente e os respectivos comandos no PC e no Mac, no terceiro comandos vocês não irão entender como ainda estou consciente escrevendo esse post.

Comandos PC/Mac
ComandoTeclado PC Teclado Mac
Copiar Ctrl+c Command+c
Selecionar uma linha inteira Shift+End Shift+Command+Seta pra Direita
Letra 'é' ´ depois e Option+e depois e
Letra 'ô' ˆ depois o Option+i depois o
E tem mais uma porrada aqui.

Sentiram a pressão? Esse é o preço que se paga por ser um Mac User. E olha que esses não são todos, perceberam que no teclado Mac não tem Del, nem PageDown nem PageUp? Outras equivalências aqui.

Eu só espero que, usando dois teclados diferentes eu possa pelo menos estar usando os 3 lados no meu cerébro e que um dia eu possa mover coisas com o poder da mente. Jedi rulez!

May the force be with you.

Saturday, January 29, 2011

Rosa de Saron e outras coisas


Antes de mais nada, sim, eu mudei o padrão nos títulos dos posts, afinal de contas não fazia muito sentido títulos como "24-jan-11", além do que a freqüência dos posts não estava condizente com o objetivo inicial, que era ter um post por dia (ficando bonitinho um dia após o outro). Dessa forma, colocando um título mais elaborado me permite, por exemplo, comentar sobre os acontecimentos da semana ou do mês (Isso soa até mais óbvio do que a escolha inicial).

Enfim, whatever.

Sobre ontem: um dia bem intenso, show do Ls Jac... Rosa de Saron (vai dizer que eles não se parecem? A voz pelo menos, vai) e Fellice na sequência, cheguei em casa umas 3:30.

A Banda Rosa de Saron (Eu pensava que era Rosas de Saron, depois pensei que era Rosa de Salompas, não, brincadeira esse ultimo foi o Álvaro quem inventou)

Começando pelo show. Fui pois minha namorada tava muito afim de ir (ela tem um amigo que tem uma banda de Rock Católico - Soul Vox - e o cara é, tipo, maluco pelo Rosa de Saron). Na verdade eu não conhecia nenhuma música dos caras (ela conhecia mais), mas achei o som deles muito bom, muito profissional, limpo, a voz do vocalista Guilherme de Sá é tão bem trabalhada que cheguei a pensar que tava em playback a parada (o que me desanimou um pouco por um momento, fala sério, assistir a show dublado é foda), mas não, era a voz do cara mesmo. O som da banda, os efeitos do telão, a sincronia e tudo mais também estava muito bom. Agora, uma coisa: Beleza que as músicas dos caras têm temática religiosa e que algumas estejam relacionadas às mazelas do mundo, mas mostrar cenas de guerra, acidentes e etc durante algumas músicas no telão acho que foi um pouco de exagero, não achei que ficou bom aquilo lá, achei meio apelativo, principalmente porque o público era bem família, digamos assim.

Ainda encontrei uns conhecidos lá, deu umas 00:30 o show já tinha terminado. De lá nós fomos então pro Fellice (antes passamos em casa pra pegar minha irmã). Chegando lá, pouco mais de 01:00 e o lugar um deserto. Eu não sou muito de sair pra lugares à noite, ir pra festas e talz, talvez eu não esteja acostumado a isso, talvez seja Janeiro (mês de férias), mas numa sexta-feira 01:00 e um barzinho estar vazio (acho que vazio nem define), é algo bem desanimador. Enfim, mesmo assim nós estávamos animados (eu, minha namorada, minha irmã e a banda que tocava ritmos relacionados ao estado da Bahia para a audiência).

Bebemos, conversamos e fomos pra casa.

E foi isso.

Ps.: Tava pensando em falar mais coisas, mas vou deixar prum próximo post senão vai ficar tudo misturado e nem eu vou me entender mais.

Monday, January 24, 2011

24-jan-11


Hoje foi um dia bem produtivo. Fiz boa parte da minha apresentação do TCC (no iWork - a simplicidade e facilidade de uso dessa suíte de escritório é algo que só a Apple podia fazer mesmo, por mim não usaria outra).


Assisti ao filme Silêncio dos Inocentes, que já vinha adiando há um bom tempo. Tinha acabado o livro e queria relembrar o filme e conferir as diferenças, que são muitas, é claro, não tem como uma produção cinematográfica mostrar todos os detalhes da obra original em apenas 2 horas.

Uma das diferenças que percebi foi na tradução de determinada expressão. No livro a mesma foi mantida com a mesma grafia, contudo no filme a tradução não me agradou muito. A expressão à qual me refiro é Quid Pro Quo (que significa tomar uma coisa por outra - há uma história bem interessante nesse link sobre a evolução dessa expressão nos países anglo-saxões e nos países de língua portuguesa e latina). No filme, acreditem, foi traduzida como "Toma lá dá cá". Sem comentários, pra mim isso é título de programa de humor.

Já disse que tou lendo Bilionários por Acaso (o livro que conta a história da criação daquela famosa rede social com mais de 500 milhões de usuários, também conhecida como Facebook)? Poisé, o livro está ótimo, vou lê-lo agora.

Abraços.

Wednesday, January 19, 2011

19-jan-11

Hoje foi um dia bem corrido, tive que ir ao trabalho resolver umas coisas (estou de férias) e foi bem puxado, mas eu gostei. Eu gosto quando passo o dia fazendo alguma coisa, tipo, sem parar, no final do dia me sinto satisfeito, é bem legal.

Além disso comecei a fazer a apresentação da monografia da pós. Estou pensando em comprar o iWork (se ele ainda tiver na saraiva) pra fazer a apresentação, parece que com o Keynote as apresentações ficam bem simpáticas :)




Hoje vi também o Comédia Mtv do dia 08/12/2010 (com a participação do Selton Mello). Muito legal, ri pra caramba. Gosto do trabalho do Selton Mello, as caras que ele faz são hilárias. Só me faz lembrar das participações dele nos episódios dos Normais.

Bom, foi isso, eu tô mesmo sem muito ânimo pra continuar escrevendo, mas vou sempre fazer um esforço.

Abraços.

Monday, January 17, 2011

16-01-11

Poizeh, fiquei um tempo sem escrever aqui, pensei até em desistir, mas me voltou a vontade de compartilhar meus dias na internet. Não vai dá pra escrever os dias que tão faltando (mesmo porque eu nem me lembro de muita coisa mesmo), mas vou fazer um resumo desse final de semana.

Iniciando um projeto nosso (meu e de minha namorada), de ir em lugares diferentes, sábado nós fomos pro Botequim, um barzinho que fica na Rua Barroso. O lugar é bem aconchegante, bem decorado, o atendimento é bom (tirando um garçon que ficou jogando indireta pra gente ir embora porque o bar tava fechando), a música também é boa, o cardápio é bem diversificado, enfim, um ótimo lugar pra ir a dois. Outro ponto positivo também é o couvert artístico a R$8,00 (relativamente barato se comparar com outros bares),

Spaghetti

Domingo foi dia de missa e logo em seguida nós fomos pra Macaroni, uma pizzaria no D. Pedro. Qual não foi nossa surpresa quando descobrimos que eles estavam com uma promoção de férias - $15,90 no rodízio de massas. E o rodízio deles é muito bom (segunda vez que vou lá, na primeira também comi pra caramba), com destaque pro rondele de frango e pra lasanha, fettuccine e espaguete (os três à bolonhesa). Só não gostei muito da pizza.

Depois do rodízio fui namorar um pouquinho e, chegando em casa, continuei a ler Bilionários por Acaso que, por acaso, ganhou (através do filme A Rede Social) o Globo de Ouro (a.k.a. a prévia do Oscar) de melhor drama, entre outros.

Foi isso.

Vou procurar manter as atualizações.

Abraços.

Wednesday, January 12, 2011

12-01-11


Hoje foi um dia bem cansativo. De manhã fui resolver uns problemas com minha namorada, foi rápido.

O negócio foi durante o dia. Passei o dia inteiro corrigindo minha monografia da pós, foi bem cansativo.

Bom, no mais, atualizações de status no twitter, leitura de feeds e... nada de música. Pois é, decidi hoje não ouvir música pra me concentrar melhor já que aqui em casa é bem silêncio.

Ah, outra novidade, terminei ontem mesmo Silêncio dos Inocentes e já comecei Bilionários por Acaso (pra quem não sabe: o livro que originou o filme A Rede Social).


Tem outra coisa interessante: sabia que o autor de Bilionários por Acaso também escreveu Bringing Down The House, que originou o filme 21 (que conta a história de acadêmicos do MIT - Massachusetts Institute of Technology - que ganham dinheiro trapaceando no Blackjack em Vegas), estrelado por Kevin Spacey e Jim Sturgess (que fez Across The Universe, um músical só com músicas dos Beatles - o único musical que gosto). Legal né.

Tá bom. Vou dormir.

Ah, talvez eu mude pro Tumblr. Vou ver.

Abraços.